12/09

O que vai no seu prato #1: Ervas Dei Falci

Bon Appétit!

Elas são pequenas e discretas, mas muito aromáticas. Na gastronomia, poderiam ser consideradas coadjuvantes, se não fosse o fato de que seu uso é capaz de elevar – e muito! – a qualidade e o sabor de uma receita. Na cozinha de um bom chef, as ervas frescas são produtos indispensáveis e aqui no Au Bon Vivant não é diferente.

Em parceria com as Ervas Dei Falci, que fornecem as folhas sempre frescas diretamente do jardim localizado nas proximidades de Belo Horizonte, as ervas apresentam a qualidade ideal para as nossas preparações.  

Quer saber mais sobre o caminho dessas ervas até chegarem aos nossos pratos? Leia o post na íntegra e faça um passeio com a gente!

Um jardim encantado

Saindo do centro de Belo Horizonte, demoramos cerca de uma hora na correria da cidade grande, que não apresenta grandes mudanças desde a Avenida do Contorno até o município de Contagem. É então que saltamos em um universo paralelo. Lá, onde a cidade para de vez, há um caminho de terra que indica a chegada a uma simpática fazenda, onde são cultivadas as Ervas Dei Falci.

Da esquerda para a direita: Graziela Dei Falci, Silvana Watel e Eduardo Dei Falci

Em meio a um conjunto de casas centenárias cercadas de belas árvores, as irmãs Graziela e Renata Dei Falci, acompanhadas de Eduardo, filho de Renata, relembram a história do empreendimento: um negócio familiar, que foi criado em 1991. Para aproveitar o espaço da fazenda, que pertence à família desde a década de 1940, as irmãs começaram a cultivar ervas, que demandam um menor espaço de plantio, mas muita delicadeza e atenção no cultivo.

Encontro com a gastronomia

No início dos anos 1990, as ervas ainda não eram muito utilizadas na gastronomia, mas as duas irmãs tiveram sensibilidade para trilhar esse caminho. O primeiro cliente entrou em contato em busca de estragão. Mesmo sem dominar as ervas europeias, Graziela encontrou as sementes, plantou, colheu e deu certo!

E foi assim, com a ajuda de amigos, clientes e graças à curiosidade e delicadeza das irmãs, que as Ervas Dei Falci passou a oferecer ervas, plantas raras e flores comestíveis, todas cultivadas de maneira orgânica, para os melhores restaurantes de Belo Horizonte, desde os mais tradicionais até os mais jovens. No Au Bon Vivant, a parceria já dura quatro anos.

Qualidade em primeiro lugar

Observar os canteiros dá uma ideia da qualidade dos produtos, do cuidado dos 11 jardineiros dedicados e do serviço personalizado. O respeito pela natureza é o lema da família e um canteiro nunca vai produzir a mesma erva duas vezes. A rotação de cultura certifica que o solo esteja sempre rico em nutrientes, já que a cada mudança, os diferentes tipos de raízes extraem nutrientes diferentes. Além disso, as ervas são colhidas sob demanda, ou seja, não são estocadas. O pedido deve ser feito com antecedência para que a erva seja colhida no dia da entrega.

Além das ervas

Além do cultivo e da venda de ervas frescas, as Ervas Dei Falci lançaram recentemente uma linha de chás feitos com infusões orgânicas. Além de ser mais uma forma de expressão da afinidade com a natureza, Graziela e Renata têm a oportunidade de aproveitar ainda mais o potencial produtivo da fazenda. Um exemplo é o uso das folhas das árvores frutíferas do local. Em breve, os chás e infusões Dei Falci também vão estar em nossa carta.

E você, já veio provar a combinação das ervas frescas nos pratos do nosso menu? Venha nos visitar!  

Comentários (0)

O seu endereço de e-mail não será publicado.

TAGS

Amuse Bouche - Au Bon Vivant - bolinho francês - cannelé - Cardápio novo - carne de rã - Chef - culinária - culinária francesa - entender os rótulos dos vinhos franceses - ervas - Ervas Dei Falci - escargot - gastronomia francesa - harmonização - novo cardápio - - receita - receita de steak tartare - Silvana Watel - sopa de cebola - sopa de cebola francesa - sopa de cebola original - steak tartare - Taça de vinho - terroir - Vinho - vinho tinto com peixe - vinhos - vinhos franceses

Posts relacionados

Receita de steak tartare
Como chegar