Vinho tinto com peixe? Sim, é possível!

14/07

Vinho tinto com peixe? Sim, é possível!

Saca a Rolha

Apesar de termos a maior oferta de vinhos em taça de Belo Horizonte, não são poucos os clientes que não abrem mão de uma garrafa inteira de vinho para harmonizar com tudo! Sim, com todos os pratos da mesa — entrada, prato principal e sobremesa. E a tarefa fica mais árdua ainda quando o prato tem peixe e que, por decisão da mesa, o vinho escolhido é tinto. Seria uma heresia? Não necessariamente. E é disso que vamos falar no post de hoje. Confira como é possível harmonizar vinho tinto com peixe.

Vinho X Peixe

É verdade que o peixe é uma carne geralmente delicada, que contém proteínas bem diferentes das da carne vermelha e, dependendo do seu modo de preparo, se torna bastante leve.

O grande inimigo do peixe no vinho tinto é o tanino, uma substância contida em boa parte dos rótulos, que provém das cascas das bagas. No contato com o peixe, os taninos se fortalecem e se concentram, causando um conflito de sabores.

Outro inimigo é o corpo do vinho. Quando ele é forte demais, acaba escondendo os sabores finos do peixe. É preciso levar em conta ainda que muitas receitas de peixe levam limão, que dificilmente combina com vinhos encorpados.

Como então harmonizar vinho tinto com peixe?

A boa notícia é que nem todos tintos têm taninos e são encorpados. E o melhor: o Au Bon Vivant tem vários deles.

Confira a seleção de vinhos leves e sem tanino do nosso bistrô:

Pinot Noir Loire

Vinho tinto com peixe? Sim, é possível!

O pinot noir da região de Sancerre, no Vale de Loire, do vinicultor Alphonse Dolly.

R$ 26 a taça. Ele é frutado, com sabor de cereja madura.

Pinot Noir Bourgogne

Vinho tinto com peixe? Sim, é possível!

Ainda no pinot noir existe o Bourgogne tradicional, da Cave d´Aze, com sabor de couro e especiarias, levíssimo. R$ 26 a taça.

Cabernet Franc Saumur

Vinho tinto com peixe? Sim, é possível!

Existe também um 100% cabernet franc, bem mais leve que os da região de Bordeaux, pois é do Val de Loire, também da região de Saumur-Champigny, do Domaine de La Bonnelière.

Um vinho puxado para aromas vegetais, bosque e ameixa fresca. R$ 20 a taça.

Rosé Claret

Vinho tinto com peixe? Sim, é possível!

Pensando também num meio termo, há um rosé quase tinto como opção. Na realidade, a última testemunha do que era o vinho de Bordeaux antes de ser armazenado por longos períodos em madeira: o rosé “claret”. Na idade média, os bordaleses não gostavam de vinhos encorpados e fabricavam um vinho prensado, com pouquíssima maceração e pouco tempo de repouso. Os ingleses o chamavam de “claret”, ou seja, “clarinho”.

Os aromas são de framboesa e groselha. R$ 20 a taça.

E aí, gostou das nossas dicas para harmonizar vinho tinto com peixe? Venha nos fazer uma visita!

Comentários (2)

O seu endereço de e-mail não será publicado.

  1. giuseppe cuccia disse:

    Boas dicas, entendi que com peixe devem se tomar vinhos tintos jovens não barricados.

TAGS

Amuse Bouche - Au Bon Vivant - bolinho francês - cannelé - Cardápio novo - carne de rã - Chef - culinária francesa - entender os rótulos dos vinhos franceses - escargot - gastronomia francesa - harmonização - novo cardápio - - receita - Silvana Watel - sopa de cebola - sopa de cebola francesa - sopa de cebola original - Taça de vinho - terroir - Vinho - vinho tinto com peixe - vinhos - vinhos franceses

Posts relacionados

Como chegar