02/07

Cannelé: conheça a história do famoso bolinho francês

Bon Appétit!

Um dos destaques do novo cardápio do Au Bon Vivant, numa versão salgada, o cannelé é um bolinho que tem sua origem na cidade francesa de Bordeaux, no século XVII.

Localizada no estuário da Gironde, próximo ao Oceano Atlântico, Bordeaux sempre se voltou para o comércio marítimo com outros países. Foi por isso, inclusive, que os vinhos da região ficaram tão famosos pelo mundo afora, encontrando na Inglaterra os seus primeiros e melhores clientes desde a Idade Média.

Depois da descoberta do Novo Mundo, muitos navios começaram a estabelecer comércio com as Antilhas, então colônia francesa. Assim, a França também passou a receber produtos e iguarias vindos das Américas, como açúcar, baunilha e rum, entre outras coisas.

história do bolinho francês cannelé

O Convento Des Annonciades

Nos cais de Bordeaux havia um convento, chamado convento des Annonciades, que era muito ativo em ajudar os pobres e indigentes. Entre outras ações, preparavam e distribuíam comida nas comunidades carentes. Com o passar dos anos, se tornou uma prática comum as freiras pedirem restos de mercadoria encalhada nos porões dos navios que voltavam das colônias – farinha, rum, açúcar. Você já está vislumbrando do que é feito o bolo, certo? Mas não é só isso!

Em Bordeaux, os produtores de vinho costumavam (e ainda costumam) limpar as impurezas do vinho jogando nas barricas claras de ovo. Essa substância tem a propriedade química de emprisionar as partículas em suspensão na barrica e, em seguida, formar um depósito bem separado do vinho no fundo do tonel. E todas as gemas sobrando? Adivinhou: as freiras do convento des Annonciades pediam e usavam.

Pronto: os pobres de Bordeaux, nutridos com deliciosos cannelés feitos pelas freiras, ficaram (um pouco mais) felizes. Porém, na hora de partir para a briga em 1789 e fazer a revolução, não se imaginava que os novos dirigentes da França iriam fechar e desmembrar uma grande quantidade de instituições religiosas, o convento des Annonciades entre elas. Assim desapareceu o delicioso bolinho.

O retorno do cannelé

Mas em 1830 surgiu um padeiro que conseguiu resgatar a receita e decidiu assar o bolinho numa forma de cobre… canelada! A nova explosão da fama dos vinhos de Bordeaux em 1855, durante a primeira exposição universal organizada em Paris por Napoleão III (sobrinho menos sucedido do ilustre primeiro) relançou a fama do bolo.

No novo cardápio do Au Bon Vivant, temos os Cannelés au fromage de chêvre, na seção de petiscos (ou “Amuse-Gueules”). É uma versão salgada, com seis pequenos cannelés feitos com queijo de cabra, acompanhados por uma maionese de beterraba e uma redução de vinagre balsâmico.

E aí, gostou de conhecer um pouquinho mais sobre a história do cannelé? Então conte para a gente aqui nos comentários.

Comentários (2)

O seu endereço de e-mail não será publicado.

  1. Iracema Rezende disse:

    Adorei a versão ” chèvre” . Pedi nas duas últimas vezes que aí fui. Parabéns à maravilhosa Chef Silvana Watel!

TAGS

Amuse Bouche - Au Bon Vivant - bolinho francês - cannelé - Cardápio novo - carne de rã - Chef - culinária - culinária francesa - entender os rótulos dos vinhos franceses - ervas - Ervas Dei Falci - escargot - gastronomia francesa - harmonização - novo cardápio - - receita - receita de steak tartare - Silvana Watel - sopa de cebola - sopa de cebola francesa - sopa de cebola original - steak tartare - Taça de vinho - terroir - Vinho - vinho tinto com peixe - vinhos - vinhos franceses

Posts relacionados

Como chegar